quarta-feira, 17 de julho de 2013

TEMPO AO TEMPO

Meus amigos e minhas amigas, a cidade de Campo Limpo Paulista é uma cidade que foi governada por dezesseis anos por um grupo político que tinha uma ideologia diferente da atual e o resultado pôde ser aferido nas urnas em outubro do ano passado.
O povo clamou por mudanças e elas estão acontecendo. Mas, toda reconstrução demanda tempo, tempo este muitas vezes maior do que se apenas a construção fosse necessária, pois deve-se limpar e arrumar a casa primeiro e só depois iniciar essa reconstrução, pois, como corrigir erros e potencializar acertos cultivados por mais de uma década e meia em poucos e rareados meses? 
Nossa cidade vem passando por um processo de mudança de gestão e toda mudança é impactante, pois alteram-se os rumos e as formas como as coisas são conduzidas e isso, infelizmente, nem sempre é uma agradável unanimidade.
Um fator relevante, talvez o mais relevante, é termos consciência de que a nossa cidade vem sendo administrada de forma responsável e transparente, embora, alguns insistam em dizer o contrário e ir contra os números. Isso é um fator que nos deixa tranquilos para dizer que se ainda não estamos usufruindo das melhorias que tanto precisamos, certamente estamos no rumo correto ou muito próximos disso. 
Se tivemos paciência durante dezesseis anos, devemos tê-la por quatro. Isso não é ser "chapa branca" é ser racional e inteligente. 
Infelizmente, essa oposição ao povo, faz parte de um jogo que nem sempre tem no bem comum sua filosofia, pois, quando a expectativa por uma cidade melhor se transforma em exigência contundente, propagada sempre pelos mesmos agentes, devemos passar a relevar as reais intenções acortinadas por essas "nobres" reivindicações, pois, nem sempre o objetivo é o bem do povo.
Quando colocamos em dúvida uma ação de um governo cujas contas estão visíveis para quem quiser, quando os canais de comunicação e jurídico estão abertos e quando a prestação de conta é rotina, podemos concluir que a dúvida deve permear as reais intenções de quem divulga fatos com motivações pouco isentas.

Texto publicado no Jornal Correio - Jundiaí,  edição 89,de Agosto de 2013.