segunda-feira, 2 de setembro de 2013

RÁDIO PEÃO: MEIA VERDADE É MEIA MENTIRA

Meus amigos e minhas amigas, ainda me impressiona e me surpreende que em plena era digital, onde informações são divulgadas quase que instantaneamente, um arcaico método ainda é utilizado quando se quer fazer circular um fato por vezes privado de qualquer fundamento.
O que tem de comum em todos os casos é que nunca existem provas, resquícios ou mesmo embasamento, pois se assim o tivesse as medidas legais deveriam ser tomadas.
A partir do momento em que algo é cirurgicamente pingado em pontos estratégicos da cidade, presume-se que a ideia é municiar a aclamada, porém pouco honrosa rádio peão. 
A rádio peão é uma forma metódica de se espalhar uma fofoca, que, de tão propagada e repetida, ao fim do ciclo soa como a verdade absoluta de algum fato sem absolutamente nenhum comprovação incontestável de sua veracidade, afinal, a própria "rádio" se julga ser esta comprovação.
Mas, uma coisa muito intrigante na rádio peão é que seus locutores e interlocutores têm emprego fixo e sempre preferem ver meia verdade em prováveis meias mentiras, pois o intuito é induzir o leigo a aderir à sua posição politicamente contrária a dos seus alvos.
Tudo isso nos deveria levar a refletir. Se uma fofoca não passa disso, de uma fofoca, é por que, por lógica, não possui subsídios para queixas formais e atitudes que possam defender as vítimas do suposto fato, portanto o objetivo não é defender as vítimas, mas encontrar um suposto culpado por algo que supostamente aconteceu. Isso é a condenação por osmose, se todos dizem que é verdade, então é, assim, torna-se desnecessário constituir provas.
A política é a base da "programação" da rádio peão. Sempre há boatos de que fulano fez isso, ciclano fez aquilo, mas sempre com um viés interesseiro dos "locutores", deixando sempre subentendido de que com eles no poder as coisas seriam diferentes. São as viúvas das urnas, que viram morrer suas esperanças e expectativas de ganho fácil de dinheiro e de poder e agora tentam infestar a sociedade com vírus de seu ódio por não ser amado.  
A nós, meros ouvintes, só resta aprender a filtrar as coisas que nos chegam e só compartilharmos informações com fundamentos e provas, para não passarmos por fofoqueiros, ou sermos feitos de massa de manobra dos oportunistas recalcados de plantão, afinal, falar, até animais irracionais falam (sic!).

Texto publicado na Coluna O Xis da Questão, Jornal o Pêndulo, Edição 918, de 06/09/2013.

O Pêndulo - Edição 918