sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A MAGIA DA DEMAGOGIA

Meus amigos e minhas amigas, alguns me questionam por que meus textos muitas vezes "defendem" a atual administração em nossa Campo Limpo Paulista. 
Aqueles que me conhecem e conhecem a minha história recente sabem que nada recebo para isso, o faço por que tenho minhas convicções políticas e que quando votei e trabalhei para eleger o prefeito José Roberto de Assis não fiz nenhum tipo de acordo condicionando meu trabalho e meu apoio a qualquer cargo ou participação na administração, o fiz por que quis.
Eu tenho meu trabalho como assessor de imprensa e não preciso de nenhum “esquema” para receber qualquer coisa da prefeitura, mesmo por que isso seria ilegal e coisa que jamais seria admitida no Governo da Reconstrução. 
A ideia de escrever essa coluna não é e nunca foi defender o governo, mesmo por que acredito que um governo eleito com gigantesca votação não precisa de defesa, a ideia sempre foi  defender o povo dos demagogos e hipócritas de plantão.  A ideia é não permitir que "santos-do-pau-oco" propaguem falsas notícias para prejudicar pessoas que hoje ocupam um lugar onde eles mesmos queriam estar e de certa forma se beneficiar política e economicamente disso, pois eu mesmo senti na pele o que é ser alvo dessa laia.
Nem eu, nem o governo, nem ninguém quer que haja problemas ou má administração do bem público, mas, ao tornar a luta para que isso aconteça sua razão de viver, essas pessoas deixam claro que suas intenções vão além da nobreza da luta.
O objetivo é não deixar que outras pessoas passem pelo que passei, ser acusado por coisas que não fez, ser condenado por ser honesto e não se render à chantagens do "ou faz o que quero ou falarei que você não presta", verdadeiro mantra desses pilantras.
O povo não pode ser manipulado por fofocas. O povo não pode ser bombardeado por acusações sem provas e não pode ser conduzido como se fosse ser impensante. 
Esses demagogos vivem em um mundo surreal e travam uma luta diária contra o óbvio, mas, insistem em esmurrar a ponta da faca da verdade e se transformam em corvos esfomeados por poder, torcendo e esperando que as coisas deem erradas para aproveitarem para bicar feridas criadas apenas em sua imaginação.
Nunca tive a pretensão de carregar o carma da santidade, mas ver acontecer com outras pessoas o que aconteceu comigo me incomoda como uma dor de dente.
Portanto, amigos e amigas, o meu "X da Questão" é levantar a bandeira da verdadeira transparência. Transparência na administração, transparência na política e principalmente, transparência nas intenções, pois posar de mártir é fácil, quando o que se pode ganhar com isso o fará rei, ou, ao menos amigo dele.