sexta-feira, 29 de agosto de 2014

DIGA-ME COM QUEM ANDAS E DIREI O QUE QUERES

Meus amigos e minhas amigas, quando a gente usa a frase "diga-me com quem andas" normalmente queremos dizer que suas companhias dizem muito a respeito de como você encara a vida e que você, obviamente, concorda com as ações dessas suas companhias. Se você vive acompanhado de bandido, você será visto como bandido, se você anda com gente honesta, você será visto como tal.
No caso da política essa teoria fica mais clara e é mais abrangente, pois, a imagem do político é um de seus mais importantes instrumentos "de trabalho", portanto, subentendemos assim que ao associar a sua imagem á outros políticos deixamos claro que esses são a sua referência de postura e ideologia.
Ao votar continuamente contra os projetos do executivo e apoiar ações como denúncias vazias o vereador eleito pelo PSDB em nossa cidade deixa claro sua posição de oposição, o que seria perfeitamente normal e natural não fosse por um "porém", suas contínuas aparições ao lado dos ex-prefeitos doutores Armando e Luiz.
Isso pode até não significar nada, mas, transmite claramente a todos a ideia de que o vereador concorda com os atos e a postura política e administrativa dos ex-prefeitos,pois caso contrário evitaria desfilar com eles em reuniões de campanha e pelas feiras-livres da cidade.
Quero deixar claro que não estou acusando o vereador de absolutamente nada, apenas reitero que, segundo suas próprias opções, me dá o direito de concluir que sua oposição ferrenha à atual administração é fruto dessa sua relação íntima com os ex-prefeitos.
Alguns podem dizer que seria óbvio, já que são do mesmo partido, mas uma ressalva é muito importante se fazer, pertencer a um partido político não obriga ninguém a seguir os passos de seus membros, ainda mais quando esses membros têm condenações, como o Dr. Luiz, ou contas rejeitadas e péssima reputação interna, como Dr. Armando. Portanto se o faz, o faz por opção mesmo.
Podemos lembrar o caso do vereador de São Carlos, Marquinho Amaral que também é do PSDB, mas que ao conhecer a história do ex-prefeito Dr. Armando e ao saber que o mesmo recebia R$25 mil reais mensais, segundo ele, para dar consultoria na prefeitura da cidade, simplesmente "detonou" o ex-prefeito na tribuna da câmara daquela cidade, e posteriormente o denunciou à justiça, deixando claro que pertencer ao mesmo partido não significa passar atestado de lisura e não obriga ninguém á concordância automática.
Agora o x da questão, quem aparece pedindo voto ao lado de um ex-prefeito condenado por desviar mais de 1,3 milhões e outro que teve as contas rejeitadas e que foi escrachado publicamente por um vereador do mesmo partido concorda ou não com essas ações ilegais praticadas por eles? E você, concorda com os discursos reivindicatórios de ética e moral de uma pessoa que anda e faz isso?
Ética e rigor da lei aos inimigos, aos amigos, pastel de feira!