quinta-feira, 26 de setembro de 2013

IRA E MIRA

Meus amigos e minhas amigas, infelizmente as coisas estão fervendo em nossa cidade.
O desencontro de concepções entre algumas figuras políticas vem trazendo á tona sentimentos antes cerceados pela poderosa diplomacia hipócrita.
A ira, covarde pela própria natureza, transparece-se e faz acortinar-se pela fumaça do inconformismo oportunista e pela busca por se fazer notar.
Não digo ser correto superfaturas e conluios onde busca-se para si tão somente o vil metal e o poder, mas também não acredito que é com a auto-martirização que se fará o melhor para nós cidadãos. "Faça o bem sem olhar a quem e sem que esse bem o faça mais poderoso", ou seja, faça o bem sem ganhar nada com isso, esse, sim, é o puro bem maior.
A administração pública possui caminhos legais para que sejam seguidos rigorosamente. Não temos o direito de fazer réu alguém sem que esses caminhos tenham sido seguidos e concluídos, pois se assim o for, fica claro o oportunismo e fica nebulosa a acusação.
Ressentimentos e resignações por não se obter o que quer, podem gerar revolta e colocar na alça da mira, quem não permitiu sua liberdade de ação. 
Nesse momento qualquer tiro é desferido, pois ferir é o objetivo, mesmo que a mira não seja lá essas coisas.
A nós, meros expectadores, cabe apenas assistir e torcer para que o bem comum flutue nesse mar revolto.