quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A NATUREZA HUMANA

Meus amigos e minhas amigas, vou começar a coluna dessa semana com uma parábola. "Certa vez estavam á beira de um rio um elefante e um escorpião. O escorpião com medo de se afogar ao atravessar para o outro lado pediu uma "carona" para o elefante. O elefante, preocupado, disse que não, pois poderia ser picado. O escorpião respondeu que não, ele dava sua palavra que não o picaria, pois ele o estava ajudando. Assim, o elefante então o carregou até o outro lado e assim que chegaram a primeira coisa que o escorpião fez foi picar aquele que o ajudou. O elefante indignado e envenenado questionou o porquê dele ter feito isso, então o escorpião respondeu: - Desculpe elefante, mas essa é minha natureza."
Essa fábula me traz clareza sobre atitudes dos seres humanos. Infelizmente, nossa natureza é lutar com mais afinco, empenho e determinação, quando a luta é para o nosso próprio bem, talvez pela busca da sobrevivência ou mesmo por ganância. Essa é nossa natureza.
O dinheiro é o deus de muitos de nós, pois, o escondemos atrás de bandeiras de luta, discursos efusivos, protestos carnavalescos e ideologias de nobreza ímpar, ao menos em sua teoria, por que com dinheiro vem poder e vice-versa.
Nossa natureza pode ser querer o bem para todos, desde que o meu bem seja maior do que desse "todos", ao menos para muitos de nós.
Mas, ainda há esperanças. Ainda existem muitos de nós que querem "apenas" viver. Existem muitos de nós cujas picadas dos escorpiões são ineficientes. Mesmo que tomemos incontáveis delas, continuamos firmes a dar carona como o elefante da parábola, pois isso mostra a diferença de tamanho do nosso caráter e da nossa natureza.
Uma picada de um ser pequeno nenhum mal causa ao ser maior, causa danos apenas a ele próprio e o mantém no status que sua natureza lhe confere.