quinta-feira, 17 de julho de 2014

O HUMORISTA E OS PALHAÇOS

Meus amigos e minhas amigas, a verdade é que esse negócio do CQC foi a melhor coisa que poderia acontecer ao prefeito, por incrível que possa parecer, pois vejamos: 
Primeiro por que vai mostrar quem está do lado da cidade ou é apenas oportunista e "Maria -vai-com-as-outras", vai separar o joio do trigo. Segundo por que a prefeitura poderá explicar que tudo o que foi feito na gestão do hospital foi feito dentro da lei. Os gênios que fizeram a denuncia disseram que a Pró-Saúde (1,2 milhões) recebeu duas vezes mais que a Humanitas (600 mil), só que a má fé deles não permitiu que eles divulgassem que o que era pago à Humanitas não incluia dezenas de outros serviços que eram prestados por outras empresas e que totalizavam, pasmem, os mesmos 1,2 milhões por mês. Outro ponto interessante é que pagando o mesmo valor (1,2 milhões) o hospital tem mais de 60% de ocupação, mas no tempo da Humanitas não passava de 20%.
Outra coisa, é impossível se pagar duas vezes a mesma coisa, só um imbecil para acreditar nisso. E para finalizar foram feitos mais de 40 chamamentos públicos para empresas participarem, ou seja, a Pró-Saúde não foi a única, mas venceu dentro da lei. E para fechar, foi hilário e estratégico a entrevista de membros do Debate como se fossem meros cidadãos recebendo atendimento no hospital, pífio!
Eu não havia me manifestado ainda por que estou esperando a bomba que vai estourar em cima do colo desse vereador e de seu cúmplice.
Existe Lei de Imprensa, existe Direito de Resposta, existe Indenização por Calúnia, mas antes de tudo existe a Lei Natural do Retorno.
Não é necessário xingar, caluniar ou ofender alguém em rede nacional para fazer as coisas acontecerem, ou por que não foi atendido, ou mesmo se foi agredido. Faça um Boletim de Ocorrência, peça indenização e mantenha-se com a razão.
Mas, esse humoristazinho se deixou levar pelo ódio, pelo incentivo do pessoalzinho da oposição e perdeu sua razão ao xingar e caluniar o prefeito.
.